9/3/2018
Temer oferece a governadores ajuda para reequipar polícias estaduais




O presidente Michel Temer fez um apelo nesta quinta-feira (1º) aos governadores pela abertura de novas vagas no sistema penitenciário e acenou com financiamento da União para reequipar as polícias estaduais.

Temer fez a afirmação em reunião no Palácio do Planalto convocada com o objetivo de discutir soluções para a crise de segurança pública. Além de governadores, o encontro reuniu os presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

"Podemos ajudar a financiar os estados para um reequipamento das polícias locais, das polícias estaduais", disse o presidente na abertura da reunião. "Essa motivação levará à ideia de que o Brasil inteiro está trabalhando para a segurança e tranquilidade do seu povo", completou.

A fala de abertura de Temer teve transmissão pela TV, mas depois o encontro seguiu a portas fechadas. No pronunciamento, ele não citou valores disponíveis para financiar a aquisição de equipamentos para as polícias.

Ele informou que o ministro da recém-criada pasta da Segurança Pública, Raul Jungmann, vai detalhar a medida ao longo da reunião.

O blog do jornalista Valdo Cruz, colunista do G1, informou que o presidente avalia a criação de uma linha de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para investimentos em segurança. Os recursos serão destinados para Estados e prefeituras e podem atingir cerca de R$ 40 bilhões.

Presídios

Durante a reunião, Temer pediu um "esforço" aos governadores para que usem uma verba federal destinada para a construção de penitenciárias nos estados e que não foi utilizada no ano passado.

"Essa verba foi ?redestinada? neste ano. Tem verba para a construção de 25 penitenciárias e cinco penitenciárias federais. Iria pedir aos senhores que se esforçassem para essa abertura de vagas porque sabemos que o sistema penitenciário está lotadíssimo. Precisamos tentar desafogar. Mesmo essas 30 penitenciárias não serão suficientes para tanto", afirmou.

Ao comentar sobre a verba que deixou de ser usada no ano passado, o presidente tentou se solidarizar com os governadores e comentou sobre a dificuldade que enfrentou quando foi secretário da Segurança em São Paulo.

"Cada vez que era para construir um cadeião ou penitenciária, havia uma resistência dos municípios. Acabei conseguindo construir, mas com grande dificuldade", disse.

Crise da segurança

Temer afirmou aos presentes no encontro que a questão da segurança "agravou-se enormemente" e pediu aos governadores que mobilizem autoridades e sociedade em seus estados em favor de melhorias na área. Ele alertou que a União não poderá resolver o problema sem a parceria dos estados.

"É pedir aos senhores, como pedi no Rio ao lado do governador Luiz Fernando Pezão, que os senhores nos respectivos estados possam reunir as entidades todas, a partir do Ministério Público local, do Tribunal de Justiça local, do Judiciário local, e, ao mesmo tempo, reunindo a sociedade, para que todos possam mobilizar-se em favor da segurança pública", disse o presidente.

A segurança pública tornou-se o principal assunto do governo desde meados de fevereiro. A reunião com os governadores faz parte desse esforço do governo em torno do tema.

Há quase duas semanas, Temer decretou intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro e colocou um general do Exército, Walter Braga Netto, como interventor. A medida foi aprovada pelo Congresso Nacional e vale até 31 de dezembro de 2018.

Na última terça (27), o presidente oficializou a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública e colocou à frente da pasta Raul Jungmann, que deixou o Ministério da Defesa.

A nova estrutura tem a missão de coordenar e integrar com estados e municípios as ações de combate à criminalidade e à violência. O ministério tem sob seu comando as polícias Federal e Rodoviária Federal, a Força Nacional e o Departamento Penitenciário Nacional.


FONTE: Fonte: gazetaweb.


  Escreva um comentário para essa Notícia

  NOME:   CIDADE:   ESTADO:   COMENTÁRIO:
CÓDIGO: 52253        REPITA O CÓDIGO:   
Este espaço contempla os leitores do nosso site, objetivando proporcionar maior interação entre eles. Vale salientar que as opiniões expressas aqui postadas, não representam a opinião da diretoria do SINDEPOL/PB. Comentários anônimos, desconexos ou sem sentido em relação ao assunto comentado serão descartados pela administração do site.
VOLTAR